As contribuições teóricas de Camillo Boito e de Gustavo Giovannoni e suas possíveis aplicações no Brasil

  • Luiz Fernando Rhoden

Resumen

O texto foi desenvolvido a partir da constatação de que havia um distanciamento entre a teoria e a prática nos trabalhos de grande parte dos restauradores de bens imóveis brasileiros. Tratou-se de traçar um pequeno resumo histórico através das contribuições de vários teóricos ao longo do tempo, em particular as contribuições de Camillo Boito e de Gustavo Giovannoni, para a formação do campo teórico da restauração, enfatizando a longa duração de tais discussões. Mostrou-se, também, o desenvolvimento da legislação brasileira e da ideia da preservação do patrimônio cultural no Brasil, para evidenciar a prática restaurativa que vem ocorrendo, em particular no Estado do Rio Grande do Sul, e a percepção de que tal prática está distanciada da teoria, como se queria demonstrar. É importante observar, no entanto, que o distanciamento observado é comum em todo o Brasil, sendo raros os casos em que se pode observar um rigor metodológico e teórico na restauração dos bens culturais. 

Citas

Boito, Camillo (2003) Os restauradores, Trad. Paulo Mugayar Kühl e Beatriz Mugayar Kühl, Ateliê Editorial, Cotia.

Castro, Sonia Rabello de (1991) O Estado na preservação de bens culturais, Renovar, Rio de Janeiro.

Choay, Françoise (2000) A alegoria do patrimônio, Trad. Teresa Castro, Edições 70, Lisboa.

Dvořák, Max (2008) Catecismo da preservação de monumentos, Trad. Valéria Alves Esteves Lima, Ateliê Editorial, Cotia.

Ferraz, Marcelo (2008) Um centro de referencia para o pampa, (http://www.ufrgs.br/propar/publicacoes/ARQtextos/pdf_ revista_15/08_MF_Pampa_040210.pdf), [consultado em 28 de janeiro de 2012].

Fonseca, Maria Cecília Londres (1997) O patrimônio em processo, UFRJ/MinC/Iphan, Rio de Janeiro.

Kühl, Beatriz Mugayar (1998) Arquitetura do ferro e arquitetura ferroviária em São Paulo: re exões sobre sua preservação, Ateliê

Editorial, Fapesp: Secretaria da Cultura, São Paulo.

Kühl, Beatriz Mugayar (2000) “Viollet-le-Duc e o verbete restauração”, em: Eugène Emmanuel Viollet-le-Duc, Restauração, Ateliê Editorial, Cotia, pp. 9-25.

Monteiro de Andrade, Carlos Roberto (1992) “Apresentação”, em Camillo Sitte, A construção das cidades segundo seus princípios artísticos, Trad. Ricardo Ferreira Henrique, Ática, São Paulo, pp. 4-10.

Ruskin, John (2008) A lâmpada da memória, Trad. Maria Lucia Bressan Pinheiro, Ateliê Editorial, Cotia.

Sitte, Camillo (1992) A construção das cidades segundo seus princípios artísticos, Trad. Ricardo Ferreira Henrique, Ática, São

Paulo.

SPHAN/Pró-Memória (1980) Proteção e revitalização do patrimônio cultural no Brasil: uma trajetória, Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Rio de Janeiro.

Viollet-le-Duc, Eugène (2000) “Restauração”, em Beatriz Mugayar Kühl, Eugène Emmanuel Viollet-le-Duc, Restauração, Ateliê Editorial, Cotia, pp. 29-70.

Publicado
2018-04-11
Cómo citar
Rhoden, L. (2018). As contribuições teóricas de Camillo Boito e de Gustavo Giovannoni e suas possíveis aplicações no Brasil. Conversaciones Con., (4), 201-215. Recuperado a partir de https://revistas.inah.gob.mx/index.php/conversaciones/article/view/11898