O encontro da conservação de bens culturais e a psicanálise: uma metáfora possível

  • Lorete Mattos

Resumen

Levanta questões que afetam a conservação de patrimônio cultural atualmente e já eram tratadas nos textos de Riegl e Dehio no início do século XIX. Trata das contradições e antagonismos existentes na conservação e restauração de bens culturais. Discute a falta de definições claras quanto aos conceitos envolvidos, as dificuldades de implementação de uma política consensual de defesa do patrimônio e questões ligadas a educação patrimonial. Reflete sobre os objetivos da conservação do patrimônio cultural e os desencontros entre a teoria e a técnica. Relaciona os valores atribuídos à significância dos bens culturais para os indivíduos. Apresenta a metáfora arqueológica de Freud e uma tentativa de entender as questões relacionadas à conservação de patrimônio cultural através da ótica da psicanálise.

Citas

Botting, Wendy e J. Keith Davies (1994) “A Biblioteca de Freud e um apêndice de títulos relacionados a antiguidades”, in: Sigmund Freud e arqueologia: sua coleção de antiguidades, Salamandra, Rio de Janeiro, pp. 191-194.

Dehio, Georg (2018) “La protección y el cuidado de los monumentos en el siglo XIX”, Conversaciones… con Georg Dehio, Alois Riegl y Max Dvořák (5): 29-44.

Dvořák, Max (2018) “El catecismo del cuidado de los monumentos”, Conversaciones… con Georg Dehio, Alois Riegl y Max Dvořák (5): 102-126.

Freud, Sigmund (1996) “Construções em análise”, in: Jayme Salomão (org.), Obras psicológicas completas de Sigmund Freud, Imago, Rio de Janeiro, pp. 271-283.

Freud, Sigmund (1996) “Fragmento da análise de um caso de histeria”, in: Jayme Salomão (org.), Obras psicológicas completas de Sigmund Freud, Imago, Rio de Janeiro, pp. 15-116.

Freud, Sigmund (2011) O mal-estar na civilização, trad. Paulo César de Souza, Penguin Classics Companhia das Letras, São Paulo.

Kuspit, Donald (1994) “Uma metáfora poderosa: a analogia entre a arqueologia e a psicanálise”, in: Sigmund Freud e arqueologia: sua coleção de antiguidades, Salamandra, Rio de Janeiro, pp. 159-177.

Riegl, Alois (2018) “Nuevas corrientes en el cuidado de los monumentos”, Conversaciones… con Georg Dehio, Alois Riegl y Max Dvořák (5): 62-75.
Publicado
2018-09-27
Cómo citar
Mattos, L. (2018). O encontro da conservação de bens culturais e a psicanálise: uma metáfora possível. Conversaciones Con., (5), 365-377. Recuperado a partir de https://revistas.inah.gob.mx/index.php/conversaciones/article/view/12654